Dra. Angela Carero

CRP 06/34037-4

 

Psicóloga

Formada pela Universidade de São Francisco em 1989
Fez residência em Terapia Familiar e de Casal com a Abordagem Análise Transacional

 

Especialidades

Especialista formada pelo IBEP em EMDR : (Eye Movement Desensitization and Reprocessing)
Especialista em TEPT : Transtorno de Estresse Pós-Traumático
Especialista em Avaliação do Inventário Multifásico de Personalidade – MMPI – pela Universidade de Minnesota – EUA
Especialista em Brainspotting, por SB/BSP. – Dr. David Grand – Fundador, Brainspotting Internacional
Healing Early Attachment Wounds – ACT Institute
Especialista em Psicologia do Trânsito por UNICSUL

Membro da Associação Brasileira de Medicina Psicossomática – Regional SP
Membro da Associação Latino-Americana de Análise Transacional

Supervisora Clínica de Psicólogos Junguianos – Campinas
Hipnotista – SBHH International Society of Hypnosis

 

Pós-Graduação

Análise Transacional – ALAT (Associação Latino-Americana de Análise Transacional) em 1993
Análise Junguiana – Unicamp-Campinas em 1997
Psicologia Psicossomática – FACIS/IBEHE – São Paulo em 2001
Psicologia do Trânsito – UNICSUL em 2005

 

Outras Especializações

Técnicas Avançadas de Play of Life Aplicado a Grupos e/ou Famílias com Dr. Carlos Raimundo

 

O que é EDMR?

Eye Movement Desensitization and Reprocessing (Dessensibilização e Reprocessamento por meio dos Movimentos Oculares) uma nova forma de psicoterapia, desenvolvida nos EUA no final dos anos 80 pela Dra. Francine Shapiro. Permite a estimulação dos hemisférios cerebrais, onde as lembranças dolorosas são armazenadas.

Inicialmente o método foi utilizado para tratar sequelas provocadas por Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT), abusos sexuais, estupros, assaltos, desastres naturais e outros tipos de violência.

Com o tempo, novos trabalhos também começaram a obter resultados promissores em aprimoramento de desempenho futuro, ansiedade generalizada, fobia, síndrome de pânico, manejo de dor crônica, luto, dependência química, adições de forma geral, depressões e doenças psicossomáticas.

Como funciona: Quando se pede ao cliente para lembrar-se de alguma situação ou sensação traumática, e lhe ajudamos a mexer os olhos de determinada maneira, o cérebro recebe a ajuda necessária para processar o fato e arquivá-lo de uma forma funcional. Perde-se a carga negativa associada ao evento, e muitas vezes se recuperam a lembranças positivas vinculadas a isso. Muitas pessoas relatam que a sensação da lembrança foi de fato colocada no passado, e que já não se incomodam mais ou lembrar dela.

Ao se aplicar o estímulo visual, auditivo e/ou tátil, se estimula à rede onde ficou presa a lembrança. Dessa forma, se dá um “arranque” necessário ao mecanismo que restaura a capacidade de processamento do sistema, permitindo a busca de informações em outras redes neurológicas onde o cliente possa encontrar o que precisa para compreender o que lhe aconteceu. As duas redes (onde está arquivado o trauma e onde estão as informações úteis à compreensão) trabalham juntas num tipo de associação livre que se chama “Processamento Adaptativo de Informação.” Cada série de movimentos continua soltando a informação perturbadora e acelera essa informação através de um caminho adaptativo até que os pensamentos, sentimentos, imagens e emoções tenham se dissipado e são espontaneamente substituídos por uma atitude positiva.

A eficácia do EMDR é reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e tem sido comprovada através de mais de 200 pesquisas publicadas internacionalmente em revistas, sendo que a American Psychiatric Association (EUA), a Royal College of Psychiatrists (UK), a Administração de Veteranos (EUA), e o International Society for Traumatic Stress Studies o consideram como um tratamento efetivo para trauma e o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT).
(Associação Brasileira de EMDR)

Dicas de Saúde: